Política de dados abertos

Consórcio para a política de informações sobre crianças em situação de rua

O Consortium for Street Children está empenhado em ser transparente no seu trabalho e responsável perante os seus principais stakeholders, em particular as crianças que vivem sozinhas e em risco nas ruas. Compartilhamos informações com organizações parceiras e o público em geral, e somos responsáveis ​​por nossos funcionários, voluntários, apoiadores, doadores, fornecedores e governos onde trabalhamos. As informações que publicamos e como respondemos aos pedidos de informação são aspectos importantes da responsabilidade.

Consórcio para a política de informação aberta da Street Children's responde à Iniciativa Internacional de Transparência da Ajuda (IATI), um esforço internacional liderado pelo Reino Unido para melhorar a disponibilidade e acessibilidade da informação da ajuda internacionalmente. Esta iniciativa compromete o Consortium for Street Children a publicar informações inicialmente sobre seus projetos financiados pelo DFID. Para atingir o padrão IATI completo, todos os projetos devem ser publicados e trabalharemos para publicar mais de nossas atividades.

Quais informações que publicamos e como respondemos a solicitações de informações são aspectos importantes da responsabilidade. Publicaremos informações e, mediante solicitação, divulgaremos informações ou daremos motivos para qualquer decisão de não divulgar (por exemplo, respeitar a confidencialidade ou a privacidade). Os nossos principais critérios para a decisão serão o impacto na nossa missão de apoiar as crianças que vivem no
ruas. Publicaremos orientações sobre a implementação desta Política de Informações Abertas.

Consórcio para crianças de rua e a Lei de Liberdade de Informação

Consórcio para crianças de rua é registrado como uma instituição de caridade (1046579) e uma empresa Reg 03040690 no Reino Unido. Não é um órgão público e, portanto, não está sujeito à Lei de Liberdade de Informação do Reino Unido de 2000. No entanto, reconhecemos os objetivos da política por trás da Liberdade de Informação.
Ato, e nossa abordagem geral está em consonância com a suposição da Lei de que a informação deve ser divulgada a menos que haja uma boa razão política pública para retê-la, ou o custo da divulgação seria desproporcional.

Critérios para Exclusão

Se não divulgarmos informações, daremos motivos para não divulgar. As razões mais frequentes
está:

  1. Segurança. A segurança do nosso pessoal é uma preocupação primordial. Não divulgaremos informações quando considerarmos que isso poderia comprometer nossa capacidade de operar ou a segurança de nossa equipe e de nossos parceiros.
  2. Informações Pessoais . Algumas informações são, por sua natureza, privadas para os indivíduos envolvidos. Qualquer informação que permita a identificação de uma ou mais pessoas e as coloque em risco de sofrimento ou dano não será publicada, por exemplo, financiadores solicitando anonimato.
  3. Informações comercialmente sensíveis . Não divulgaremos informações que danifiquem os relacionamentos do Consortium for Street Children com base em interesses comerciais, por exemplo, salários ou honorários de consultoria.
  4. Informação confidencial . As informações podem ser confidenciais por razões legais, comerciais ou contratuais, ou porque sua divulgação prematura colocaria em risco a ação que o Consortium for Street Children planeja realizar.
  5. Custo. Quando consideramos que o custo da divulgação, seja como um custo de tempo ou um custo monetário, seria desproporcional à solicitação, podemos recusar a divulgação, mas explicaremos que essa é a razão.
  6. Informações detalhadas sobre programas. A prioridade das nossas autoridades de projeto na informação é fornecer informações aos nossos parceiros e às pessoas para quem trabalhamos. Podemos nos recusar a fornecer informações para solicitações feitas no Reino Unido sobre o trabalho do nosso programa internacional em outros países, onde isso levaria um tempo significativo da equipe em nosso programa.
  7. Planejamento interno, rascunhos e informações triviais ou efêmeras . Em geral, não divulgaremos documentos de trabalho internos que abordem planos futuros, rascunhos de trabalho ou informações que consideremos serem de interesse, de modo que o trabalho envolvido na divulgação seja, em nossa opinião, desproporcional.
  8. Informação histórica . Esta política aborda informações disponíveis desde janeiro de 2013. Embora façamos esforços razoáveis ​​para lidar com solicitações ou informações, é mais provável que decidamos não divulgar informações históricas.
  9. Várias solicitações e solicitações sem benefício público discernível . Quando uma pessoa faz várias solicitações de informações, ou consideramos que o trabalho envolvido em lidar com a solicitação não tem benefício público perceptível, podemos decidir não gastar tempo para lidar com a solicitação. Tal decisão será tomada pelo Chefe do Executivo. Se qualquer pessoa fizer uma solicitação de maneira ofensiva ou tiver sido abusiva para com a equipe ou voluntários, poderemos recusar a correspondência com essa pessoa.
  10. Limitações de direitos autorais . Em alguns casos, não temos o direito de divulgar informações porque outra pessoa detém os direitos de propriedade intelectual e, embora tenhamos o direito de fazer uso interno, isso não se aplica à publicação. Somos a favor da publicação aberta onde podemos.
  11. Danos às operações . Reconhecemos a importância de como colocamos princípios em prática. Mas haverá ocasiões em que não divulgamos informações porque consideramos que a divulgação pode prejudicar nosso trabalho, seja no Reino Unido ou em nossas operações internacionais. Um exemplo seria a informação sobre uma campanha envolvendo alvos específicos, onde a divulgação poderia comprometer a eficácia da campanha.

Pedidos de informação podem ser feitos por escrito para:
Consórcio para crianças de rua
A estufa
244-254 Cambridge Heath Road
Londres
E2 9DA, UK

Ou por email para info@streetchildren.org

Faremos o possível para responder às suas solicitações prontamente, mas quando isso não for possível, os candidatos deverão permitir um período de 14 dias para uma resposta.